PT declara incompatibilidade entre a esquerda e a luta pela vida

PT abortoDaniel Volpato
Um texto publicado no site oficial do partido, de autoria da Secretária de Formação Política do PT-SP e do Coletivo Nacional de Mulheres do PT, declara a incompatibilidade entre a esquerda e a luta em defesa da vida, contra o aborto. Na visão do partido, quem abraça a esquerda e a compreende em sua plenitude precisa ser a favor do aborto e do restante da agenda feminista. Se não é, é um “conservador de esquerda” que, ou faz parte do grupo dos “equivocados que ainda não alcançaram a compreensão de que a luta contra opressão das mulheres é parte constituinte da plataforma dos que almejam construir uma sociedade socialista”, ou é do grupo dos “omissos e omissas, que se pronunciam conforme suas relações com os setores religiosos ou mesmo por oportunismo eleitoral”.
Portanto, ou há ignorância, ou há oportunismo: tertium non datur. Àqueles que seguem a esquerda e que acreditam piamente serem pró-vidas – não são muitos, mas eles existem! -, o recado está dado: “companheiro, você não sabe o que é a esquerda!”. Assim que este adquirir a compreensão do que a esquerda realmente quer, precisará decidir-se: ou pula fora da nau socialista e abraça a luta pela vida, ou mantém o aspecto exterior de defesa da vida e entra no time dos esquerdistas oportunistas. É curioso, aliás, gente do próprio partido admitir que eles existem.Resta saber em qual dos grupos a Secretária enquadraria sua co-partidária, a Presidente da República. Confesso que a tarefa é árdua. A Presidente defendeu a descriminalização do aborto em sabatina realizada pela Folha de São Paulo em outubro de 2007[i], posição que manteve em 2010, no Encontro com Editores da IstoÉ[ii]. Contudo, ainda em 2010, na reta final da campanha eleitoral das últimas eleições, a então candidata se disse contrária ao aborto [iii], contradizendo tudo o que havia dito em ocasiões anteriores. Disto e da aproximação da candidata com setores religiosos, ela que se disse católica [iv] mas que não sabe fazer o sinal da Cruz[v], não acredita em Deus[vi] e chama Nossa Senhora de deusa[vii], sou inclinado a colocá-la no grupo dos oportunistas omissos. Por outro lado, sendo ela declaradamente socialista[viii], pode-se concluir que seria uma má socialista, do time das equivocadas.

Talvez haja um terceiro grupo, o dos conservadores omissos da esquerda equivocada.

Anúncios

Os comentários estão desativados.