Arquivo do mês: abril 2013

Hungria proíbe símbolos comunistas e nazistas

hungriaO parlamento da Hungria aprovou a proibição de exibir em público símbolos comunistas e nazistas. Em março passado, milhares de húngaros honraram a memória das vítimas do Holocausto, ao mesmo tempo que muitos têm receios do aumento do anti-semitismo no país. Continuar lendo

Anúncios

Brasileiro inicia debate sobre zoofilia nos EUA

carlos romero zoofiloFonte: G1, AcheiUsa

O caso de Carlos Romero, 31 anos, noticiado em 2012 a propósito de manter relações sexuais com uma jumenta chamada Doodle, voltou a aparecer na mídia em 2013.

Ocorre que o zoófilo decidiu agora apelar para a inconstitucionalidade da proibição da zoofilia. Por algum motivo ainda não compreendido, o G1 não mencionou mais o fato de o zoófilo ser brasileiro. Continuar lendo

Educação na Idade Média, preservação e consolidação dos saberes

Alessandro Barreta Garcia

Muito se escuta no senso comum, bem como em livros didáticos[1], que a Idade Média se traduziu em um período estático e educacionalmente restrito aos dogmas religiosos. Entretanto, já apresentamos inclusive que em ralação a educação das mulheres, muitas das informações que recebemos são absolutamente refutáveis[2]. Quanto à imutabilidade da educação, nada é mais falso. Continuar lendo

Documentário sobre o aborto sairá no Brasil este ano

O documentário que recentemente tem  incomodado abortistas nos EUA e Europa já tem a sua distribuidora no Brasil e data de lançamento prevista para o segundo semestre de 2013. A produtora cearense Estação Luz Filmes garantiu os direitos da película pelos próximos 10 anos para exibição em todo o território nacional, seja em cinemas, DVDs ou televisão.
O filme traz uma investigação completa sobre a lucrativa indústria do aborto nos Estados Unidos, revelando seus principais financiadores assim como suas estratégias para legalizá-lo nos países emergentes. 
Segue abaixo uma resenha sobre o filme postado no blog Cinema Cristão: Continuar lendo

Casamento gay e a voz das massas, e o que Sócrates diria sobre isso tudo

Antonio Pinho

Ficou clara a manipulação da Rede Globo numa enquete em seu portal G1 sobre a questão do casamento gay, como deixou evidente o artigo de Cristian Derosa (1). Aqueles que lançaram essa pesquisa de opinião deram a entender que já tinham em mente um resultado desde o início. Queriam apenas números para justificar uma engenharia social não democrática. O simples fato de vários governos pelo Ocidente estarem tentando ao mesmo tempo implantar leis gayzistas evidencia que não estamos diante de uma mudança espontânea da sociedade, mas de uma estratégia de revolução internacional dos costumes muito bem orquestrada e centralizada na ação de certos indivíduos. A ONU com seus tecnocratas não eleitos decidiu que casamento gay é direito humano, e tem imposto isso às nações que se rendem a seu jugo. Continuar lendo

Site da Globo faz confusão nas enquetes e evidencia manipulação

Cristian Derosa

enqueteManipulação ou erro técnico, a confusão das enquetes dos sites da Globo mostrou um comportamento não muito estranho para uma empresa que trabalha pela imoralidade há muito tempo. O seu apoio à bancada LGBT não é única forma de demonstrar isso. Basta assistir as suas novelas e perceber a relação de seus temas com as editorias de jornalismo. De qualquer modo, vejamos os fatos sobre as últimas enquetes encerradas hoje e façamos um esforços para interpretá-los. Continuar lendo

Controle técnico das paixões como arma política

Cristian Derosa
libidodominandiAqueles que desejam liberar o homem da ordem moral precisam impor controles sociais tão logo eles o consigam, porque a libido liberada conduz inevitavelmente à anarquia. No curso de dois séculos, aquelas técnicas tornaram-se mais e mais refinadas, resultando num mundo onde as pessoas fossem controladas, não por forças militares, mas pelo controle técnico de suas paixões. (Libido dominandi, sexual liberation and political control – E. Michael Jones).
A bancada LGBT do Brasil faz parte de um movimento internacional que não pretende somente exigir suporte estatal para suas próprias práticas ou desejos sexuais. Nem mesmo ela age exclusivamente no intuito de modificar ou expandir o conceito de normalidade às fronteiras dos seus próprios vícios. Não é este o objetivo. Ela pretende estender a toda a sociedade o desejo de lutar selvagemente pela garantia das demandas mais torpes e primitivas, visando legitimar a instauração de rígidos controles estatais, tudo em nome dos “direitos humanos” e até mesmo da moralidade, devidamente re-conceituada conforme a atuação de grupos de pressão como os gayzistas, feministas, etc..Enquanto o controle totalitário não é obtido, o desenvolvimento do processo permite que se vá controlando as condutas mediante ideias e promessas de realização, o que Santo Agostinho chamou de libido dominandi. Continuar lendo